Slack%20message%20with%20team%20communic
ASSINE NOSSA NEWSLETTER

GOSTOU DO QUE LEU?

Receba conteúdos exclusivos e cancele quando quiser!

Como é feito um inventário florestal?

Atualizado: Jun 20




O Inventário Florestal, conforme introduzido no final do conteúdo “Como saber o potencial de produção de florestas?” é o método utilizado para levantamento de dados de uma determinada área, englobando os mais variados aspectos relevantes para o entendimento geral da floresta em questão, tais quais: Características topográficas, aferições sobre produtos florestais existentes, suas taxas de crescimento, entre outras.

Este serviço, portanto, apresenta extrema importância com relação a tomadas de decisões no que se refere desde à conservação ou manejo de matas nativas, até na medição da rentabilidade e identificação de pragas para uma floresta plantada.

Dito isso, fica claro que dados de tamanha relevância devem ser levantados por profissionais especializados nesta área, pois não se podem arriscar as vidas que habitam as nossas florestas, ou até mesmo correr o risco de que o investimento no plantio madeireiro não dê retorno.

Há dois tipos de inventário florestal, contínuo e pré-corte, o contínuo ocorre durante os anos de crescimento da floresta e o pré-corte antes do corte, no qual existe o abatimento de árvores para realizar a cubagem das mesmas.

O primeiro passo na realização de um inventário é a fase de planejamento, onde é definida a finalidade do procedimento, a área de abrangência e os gastos que serão necessários com EPI e mão-de-obra. Por fim são coletados os dados estatísticos que serão necessários na próxima etapa como, por exemplo, a precisão desejada e a variância.

Após isto é o momento de, a partir do que se obteve do planejamento, escolher qual tipo de amostragem será feito, sendo os principais:

· Amostragem Casual Simples: Onde as amostras são escolhidas aleatoriamente dentro da população.

· Amostragem Casual Estratificada: Quando a população é dividida em estratos, o mais homogêneos possível, e é escolhido um número específico de amostras que serão selecionadas aleatoriamente de cada estrato.

· Amostragem Sistemática: Apenas a primeira amostra é escolhida aleatoriamente e, a partir desta, é definido um intervalo para a seleção da próxima, trazendo maior garantia da representatividade da população.

· Amostragem em Conglomerados: Aplicável em casos de existência de certa homogeneidade, esta divide a área total em conglomerados e permite o cálculo da semelhança dentro e entre estes.

Na terceira etapa temos o lançamento e marcação das parcelas, onde são delimitadas e sinalizadas áreas em forma de figuras geométricas que, para que sejam precisas, são definidas a partir de georreferenciamento.

Depois de tudo estar definido chega o momento da coleta de dados, em que as amostras têm sua altura e o CAP medidos e alguns de seus ramos são coletados.

Por fim, na última fase acontece o processamento do inventário florestal, quando toda a coleta de dados é inserida em um software que devolva as informações estatísticas sobre a variável de interesse.

Restou alguma dúvida ou curiosidade? Acredita que um Inventário Florestal possa sanar algum de seus problemas? Entre em contato via e-mail, chat ou telefone!


105 visualizações

TELEFONE: (15) 99119-1271

© 2020 | Ecoflorestal Jr. Empresa de Consultoria Florestal